Tirullipa lota duas sessões em Recife

Tirullipa lota duas sessões em Recife

22 de janeiro de 2017 0 Por Diego C. Melo


Um santo remédio contra o mau humor!



Everson de Brito Silva, nascido em Fortaleza-CE, no dia 16 de novembro de 1984, ganhou notoriedade por ser filho do palhaço e deputado federal Tiririca. Conhecido pelo nome de Tirullipa, é um artista que já possui uma luz própria e capaz de arrancar as melhores risadas de qualquer espectador que se dê o prazer de assistir ao seu stand up e em sua dupla apresentação realizada nesse último final de semana, no Teatro Guararapes em Recife, só veio confirmar o carisma e talento desse grande humorista.

Tirulipa não precisa mais ser anunciado como filho do deputado já há um bom tempo, seu talento exala por qualquer lugar em que passe. Dono de um carisma sem igual, o artista já conseguiu, por mérito, um público fiel e que acompanha o seu trabalho aonde quer que ele vá.

O espetáculo Saco de Risadas é capaz de transformar qualquer ser humano ranzinza em uma nova criatura. É algo quase inacreditável o poder que o humorista possui nos palcos, que independentemente de ter acessórios extras, consegue fisgar com maestria o público.

No palco, a plateia pode ser contemplada por várias pessoas em uma só. O sorriso surge naturalmente e por diversos momentos as pessoas perdem o controle e se entregam ao grandioso Everson. Diante de um microfone e com o dinamismo que possui, Tirullipa faz do seu stand up um delicioso remédio contra o mau humor.

Saco de Risadas vive um momento único e aquele que se arrisca ou até mesmo faz uma pequena dívida para poder assistir ao artista é agraciado pelo altíssimo nível de humor que o seu público está habituado a ver.

A Art Rec acertou em cheio ao trazer para Recife, Tirullipa. Com Gustavo Agra, João Araújo e Gugga Macel na produção, o solo pernambucano foi agraciado com um verdadeiro mar de risadas e alegrias. A plateia foi ao delírio do início ao fim e a sensação de quero mais foi sentida em cada rosto. O Brasil precisa mais de humor assim.

Não há tristeza que seja resistente ao Everson. É 10, mil vezes nota 10. Sabe aquele 10 de escola de samba? DEEEEEZZZZ, NOTA DEEEEEZ!

 

Por Dieguito C. Melo

Revisado por Thalles Amaro

Apoio: Art Rec