Show com Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Miúcha e Toquinho abre série

Show com Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Miúcha e Toquinho abre série

11 de janeiro de 2020 0 Por Diego C. Melo

A série “Musicalmente na América Latina” chega ao Curta!  celebrando performances históricas, dos anos 1970 e 1980, de grandes nomes da música latino-americana. O primeiro dos quatro episódios, que vai ao ar no dia 13 de janeiro, traz um show gravado em outubro de 1978 na cidade suíça de Lugano, com um quarteto memorável:  Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Miúcha e Toquinho. Eles tocam clássicos da bossa nova como “Desafinado”, “Águas de março” e “Garota de Ipanema”. Os episódios seguintes terão como protagonistas Mercedes Sosa, Toquinho e Milton Nascimento, em performances individuais. A estreia é na Segunda da Música, dia 13/01, às 23h.

Documentário sobre David Hockney revisita a vida do artista através de suas obras

Aos 82 anos, David Hockney é considerado um dos artistas britânicos mais influentes dos séculos XX e XXI, sendo um dos principais expoentes da Pop Art. É também um dos nomes mais valiosos do mundo: sua pintura “Retrato de um Artista (Piscina com Duas Figuras)” foi vendida em 2018 por US$ 90,3 milhões, um recorde para um artista vivo (que viria a ser batido em 2019 pela escultura “Rabbit”, do americano Jeff Koons). Sua vida e obra estão no documentário “David Hockney — Tempo Recuperado”, exibido com exclusividade no Curta!.

Através de detalhada análise pictórica, o filme destaca como o renomado pintor — que também é cenógrafo e fotógrafo — permanece misterioso e desafia classificações de muitas maneiras. Hockney, um artista intenso, profundo e infinitamente apaixonado, é conhecido pelas fortes cores de suas telas e por sua intensa relação com a vida e seus prazeres. O longa, dirigido por Michael Trabitzsch, é uma produção da Prounen Film. A exibição é na Terça das Artes, 14/01, às 23h.

Segunda da Música – 13/01

23h – “Musicalmente na América Latina”
Série em quatro episódios com concertos memoráveis de alguns dos grandes nomes da música latino-americana. O primeiro episódio traz um show histórico gravado em 1978, em Lugano, na Suíça, com Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Miúcha e Toquinho. 
Diretora: Mascia CantoniDuração: 55 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 14 de janeiro, terça, às 3h e às 17h; 15 de janeiro, quarta, às 11h; 18 de janeiro, sábado, às 23h; 19 de janeiro, domingo, às 14h.

Terça das Artes – 14/01

23h – David Hockney – Tempo Recuperado”
O documentário destaca como o renomado pintor David Hockney desafia classificações e permanece misterioso de muitas maneiras: um artista intenso, profundo e infinitamente apaixonado. 
Diretor: Michael Trabitzsch. Duração: 70min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 26 de junho, quarta-feira, às 1h50 e às 15h50; 27 de junho, quinta-feira, às 9h50; 29 de junho, sábado, às 10h50; 30 de junho, domingo, às 16h10.

Quarta de Cinema – 15/01

20h – A faixa “A Vida é Curta!” traz os filmes “Tim Maia”, “Abá” e “Superstição e Futebol”

Tim Maia”
Um retrato íntimo do cantor Tim Maia, registrado num período nos anos 1980 em que ele estava recluso e avesso a entrevistas. Graças a amigos em comum, o diretor Flávio Tambellini frequentou a casa do músico durante quase um ano e gravou depoimentos dele em cinco sessões de filmagem. No filme, Tim fala sobre vários assuntos sem filtro ou autocensura. 
Diretor: Flávio Tambellini. Duração: 15min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de janeiro, quinta-feira, às 00h; 17 de janeiro, sexta-feira, às 08h; 18 de janeiro, sábado, às 11h35.

Abá”
Abá significa esperança de paz espiritual. Significa também encontro, a crença na luz e a chegada no estado de contemplação.
 Diretor: Raquel Gerber. Duração: 5 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de janeiro, quinta-feira, às 0h25; 17 de janeiro, sexta-feira, às 08h25; 18 de janeiro, sábado, às 12h05.

Superstição e Futebol”
Este documentário sobre futebol e superstições enfoca esses dois fenômenos culturais que tanto significam para o povo brasileiro. 
Diretor: Sylvio Lanna. Duração: 10 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de janeiro, quinta-feira, às 0h35; 17 de janeiro, sexta-feira, às 08h35; 18 de janeiro, sábado, às 12h20.

23h10 – “Cineastas” (Série) – Episódio: “Cacá Diegues”
O grande cineasta brasileiro Cacá Diegues relembra seus filmes, desde a década de 1960, e o Brasil da época, que o fez se exilar na Europa. Betty Faria, Zezé Motta, Arnaldo Jabor, Orlando Senna e Antônio Pitanga falam de suas experiências no cinema com o diretor. 
Diretor: Hermes Leal. Duração: 45min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de janeiro, quinta-feira, às 03h10 e 17h10; 17 de janeiro, sexta-feira, às 11h10; 18 de janeiro, sábado, às 22h; 19 de janeiro, domingo, às 13h.

Quinta do Pensamento – 16/01

22h05 – “Zélia – Memórias de Amor” (Documentário)
Aos 32 anos, Zélia Gattai compra sua primeira câmera fotográfica durante seu exílio em Paris e começa a registrar o mundo ao lado do seu companheiro, o escritor Jorge Amado. Aos 63 anos, escreve seu primeiro livro, “Anarquistas, Graças a Deus”. Sem querer pegar carona na fama do marido, Zélia opta por uma maneira particular de contar o que viu e viveu, criando uma literatura de forte cunho memorialístico. É com base nos seus livros de memória, no seu acervo de mais de 20 mil fotografias e em entrevistas que o documentário constrói um retrato intimista de Zélia Gattai, tendo como fio condutor a história de amor que viveu durante 56 anos com Jorge Amado, personagem principal de sua obra. 
Diretora: Carla Laudari. Duração: 100min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 17 de janeiro, sexta-feira, às 2h05 e às 16h05; 18 de janeiro, sábado, às 9h45; 19 de janeiro, domingo, às 19h; 20 de janeiro, segunda-feira, às 10h05.


Sexta da Sociedade – 17/01

20h – “História do Anarquismo: Sem Deuses, Sem Mestres” – Episódio: “1840-1906: A Paixão por Destruição”
A série de três documentários revela as origens e o destino da ideologia política que tem lutado contra todos os deuses e mestres há mais de 150 anos. A partir de materiais de arquivo nunca antes vistos e outros esquecidos, além de vasta documentação, a série reconta a história do movimento anarquista, que, de Paris a Nova Iorque e de Tóquio a Buenos Aires, tem tentado mudar o mundo com seus ideais de liberdade e revolta.  
Diretor: Tancrède Ramonet. Duração: 52min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 18 de janeiro, sábado, às 0h e 17h; 20 de janeiro, segunda-feira, às 14h; 21 de janeiro, terça-feira, às 08h.

via assessoria