Crítica: Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar

Crítica: Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar

25 de maio de 2017 0 Por Diego C. Melo

A quinta aventura do capitão Jack Sparrow chegou de vez aos cinemas nesta quinta-feira e será que a aguardada estreia vale a pena? De imediato será dito: vale e muito! Tudo o que o público já está acostumado a assistir nas outras obras você encontrará na Vingança de Salazar.

É bem verdade que a fórmula apresenta sinais de desgaste e de cenas desnecessárias ou demasiadamente prolongadas, mas todos já sabem que isso vai ocorrer e, mesmo chateando a quem assiste, é uma excelente opção. A diversão é garantida e Johnny Depp mostra porque Sparrow é o personagem de sua vida. 

Piratas do Caribe vai continuar suando a camisa enquanto render centenas de milhões de dólares e enquanto isso os roteiristas que vão enlouquecer tentando inovar ou trazer alguma surpresa nas demais continuações que estão por vir. E sim, tem pós-créditos!

Na verdade, a possibilidade é quase remota de um insucesso dessa obra. O problema é que quando a primeira adaptação de um dos brinquedos da Disney foi parar nas telonas, a concorrência não era tão agressiva, o que difere bastante do cenário atual. O quinto filme é bom, porém isso não quer dizer que não vai sofrer para chegar perto ou quem sabe até ultrapassar a barreira do bilhão de dólares.

O capitão Salazar é a nova pedra no sapato do capitão Jack Sparrow. Ele lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os piratas existentes na face da Terra. Para escapar, Sparrow precisa encontrar o Tridente de Poseidon, que dá ao seu dono o poder de controlar o mar.

O que fizeram foi não inovar em praticamente nada, resgatar o que deu mais certo e ainda trazer personagens de volta para conseguir injetar um “novo” gás em sequências. É tudo aquilo que o público já viu, sem mais nem menos. Chegou a hora de mostrar coisas ainda não vistas, sem precisar se arrastar, cortando aqui ou ali e quem sabe dando uma geral na produção? Provavelmente não irão fazer isso e o que você vai fazer? Irá aos cinemas quantas vezes forem necessárias para contemplar Jack Sparrow e as suas façanhas.

O 3D funciona, a história mirabolante nem tanto. Atuações: dentro do esperado. Surpresas? Uns tubarões. Extraordinário? Humm, assistam tranquilos e tirem suas próprias conclusões. A Disney fez o seu dever de casa e ficou na média.

Nota 7

Por Dieguito C. Melo

Revisado por Thalle Amaro

Apoio UCI Cinemas