O Topo da Montanha é um show de talento!

30 de abril de 2017 0 Por Diego C. Melo

Na noite deste sábado, no Teatro Guararapes lotado, o público recifense pôde contemplar o grandioso talento de Taís Araújo e Lázaro Ramos no palco. A peça O Topo da Montanha, que retrata as últimas horas de vida do *sacerdote* Martin Luther King, mostra através do humor e drama um pouco do que ele passou.

Aprisionado em seus medos e concepções, o personagem de Lázaro Ramos consegue reunir os altos e baixos de um homem quase perfeito, mas que supera seus pecados no momento mais conturbado de sua existência. Dando um show de interpretação e na medida certa, o consagrado ator demonstra sua versatilidade e concede às pessoas que assistem algo único e inesquecível.

Ao entrar em cena, Taís Araújo consegue levantar o humor e dosa como ninguém o teor dramático que a peça necessita. Através de uma interação constante com Ramos, transforma o palco numa extensão da mente de King. Mostra que por mais imperfeitos que os humanos sejam, Deus não enxerga cada um pelos seus erros e sim por seus corações. Oferece também uma nova maneira de enxergar o Senhor e ensina, de uma maneira pouco didática, o jeito “correto” ou não de se viver.

O Topo da Montanha é bem produzido e conduzido. Talvez se o áudio fosse um pouco mais alto e as grades que simulam um quarto e “aprisionam” os atores no palco fosse aberta mais cedo, a plateia não perderia alguns ângulos e enxergasse ainda mais o talento de cada um. Afora isso, é perfeito e consegue retratar um momento tão importante da história mundial com primazia, coisa que dificilmente é vista nos palcos atualmente.

Vencedores da promoção

Vale não apenas pelo espetáculo que já proporciona para quem assiste, mas por todo um contexto totalmente necessário para o conhecimento do público.

Nota 9

Por Dieguito C. Melo

Revisado por Thalles Amaro