No dia Internacional da Cerveja, Mestre Cervejeiro ensina principais diferenças entre os sabores das cervejas artesanais

No dia Internacional da Cerveja, Mestre Cervejeiro ensina principais diferenças entre os sabores das cervejas artesanais

4 de agosto de 2017 0 Por Diego C. Melo

Data é comemorada na primeira sexta-feira do mês de agosto.

Garrafa, Chope, Growler. O recipiente não importa, e sim o brinde! Desde o ano de 2007 que se institucionalizou o Dia Internacional da Cerveja, comemorado na primeira sexta-feira do mês de agosto. Para homenagear a bebida alcoólica mais adorada e consumida do mundo, o mestre cervejeiro da Debron Bier, Luciano Fialho, explica as principais diferenças entre os sabores das cervejas artesanais.  “Com sabor e aromas peculiares, cada garrafa ou estilo de cerveja artesanal tem uma história e composição diferente por dentro. Golden, Larger, Weiss, IPA, Pale Ale, Witbier, Weizen,  Imperial Stout e Vienna  , as cervejas se diferenciam em sua composição e sabor. Elas chegam com toques cítricos ou frutado que lembram banana, cravo, noz, laranja e cacau e até mesmo notas condimentadas e rapadura, fazendo com que cada garrafa se torne uma experiência única”, afirma.

Abaixo seguem as diferenças de cada tipo:

Golden – Segue a receita mais popular da Inglaterra. É uma cerveja de alta fermentação, de cor laranja acobreado, brilhante e com espuma baixa. Os aromas e sabores remetem ao cítrico com notas frutadas, malte caramelo e lúpulo com médio amargor e de gosto seco. A Golden é o tipo ideal para quem quer experimentar uma cerveja mais forte e de sabor único.  Ela se destaca no inverno por seu teor alcoólico.

 IPA –  A IPA é uma cerveja forte e clara. Sendo um exemplo autentico do estilo americano Pale Ale fabricado no Brasil. Tem o amargor característico seco refrescante, com notas condimentadas, aroma frutal, floral e cítrico.

Stout – Cerveja bem peculiar com um toque nordestino.  A Imperial Stout tem em sua composição rapadura e amêndoas de cacau. A cerveja é escura, o que contrasta com as douradas, que assimila mais com o calor. O estilo é ótimo para o inverno por ter uma alta concentração alcoólica. Para completar, há grande presença de malte tostado e aromas que lembram chocolate.

Lager – É produzida de acordo com a lei da pureza de 1516, ou seja, puro malte. Uma cerveja de baixa fermentação, dourada e com espuma cremosa. A cerveja tem aroma que remete a cereais e um suave floral de lúpulo, e sabor leve e refrescante.

Pale Ale – Segue a receita mais popular da Inglaterra. É uma cerveja de alta fermentação, de cor laranja acobreado, brilhante e com espuma baixa. Os aromas e sabores remetem ao cítrico com notas frutadas, malte caramelo e lúpulo com médio amargor e de gosto seco. A DeBron pale Ale é o tipo ideal para quem quer experimentar uma cerveja mais forte e de sabor único.

Weizen – É uma cerveja de trigo de alta fermentação, inspirada nas típicas receitas da Baviera, região sul da Alemanha. De coloração amarelo claro, ligeiramente turva, com espuma abundante, possui aromas e sabores intensos, ressaltando esteres frutados que lembram banana, cravo e noz. A Weizen é a típíca cerveja do verão europeu, perfeita para nosso clima e para novos consumidores da cerveja artesanal.

Witbier – É um estilo típico da escola belga. leva trigo e tem textura saborosa e cremosa. É uma cerveja cuidadosamente condimentada com sementes de coentro, raspas de laranja e limão siciliano.

Vienna – A cerveja é clara e brilhante e apresenta espuma persistente e cabonatação moderada. Ela é uma cerveja de cor âmbar com notas avermelhadas e o sabor do malte é bem evidente. A cerveja é bem refrescante, tanto quanto uma Pilsen ou Weiss. No entanto a coloração e o aroma são mais destacados, já que apresentam uma cor acobreada e aromas que remetem ao caramelo.

 *via assessoria