Globo adquire Velozes & Furiosos 8 e escancara limitação da Record

5 de abril de 2020 0 Por Diego C. Melo

Nesta semana, a Globo soltou um longo comunicado confirmando as principais (re) estreias de abril. No que diz respeito aos filmes, a grande novidade é que a emissora adquiriu o direito de exibição de Velozes & Furiosos 8. O longa-metragem ainda é inédito em TV aberta.

No oitavo filme, Dom (Vin Diesel) e Letty (Michelle Rodriguez) estão curtindo a lua de mel em Havana, mas a súbita aparição de Cipher (Charlize Theron) atrapalha os planos do casal. Ela logo arma um plano para chantagear Dom, de forma que ele traia seus amigos e passe a ajudá-la a obter ogivas nucleares.

Vale lembrar que, em tempos de pandemia de coronavírus, filmes tem sido curingas em todas as emissoras. Além das sessões regulares, a Globo oficializou o Cinema Especial nas noites de quarta-feira e ainda ressuscitou a marca Campeões de Bilheteria para as tardes de domingo.

Outros títulos prometidos para este mês de abril são Kong – A Ilha da Caveira, Creed: Nascido Para Lutar, exibidos pela primeira vez no ano passado. A Globo também vai tirar da geladeira Toy Story 3. A sequência não dá as caras na emissora desde 2016. Finalmente, o inédito Tudo Por um Popstar, protagonizado por Mel Maia, Klara Castanho e Maisa encerra a lista. O filme transporta para as telas de cinema a história criada por Thalita Rebouças no livro de mesmo nome.

Algumas pessoas podem não se lembrar, mas a saga Velozes & Furiosos está retornando à Globo. Em maio de 2004, o primeiro filme chegou à TV aberta na Tela Quente. A retomada da franquia – a partir deste oitavo filme –  escancara, de uma vez por todas, a limitação do acervo da Record, que vinha exibindo as outras sequências a exaustão.

A perda dos direitos é consequência da não renovação do acordo com a Universal Studios. Desde 2018, a produtora voltou a ser parceira da Globo. Vale lembrar que situação semelhante já havia ocorrido com A Era do Gelo. Os três primeiros filmes são frequentes no canal de Edir Macedo, ao passo que o quarto migrou para a Globo. Ao que tudo indica, o quinto – e mais recente – seguirá o mesmo caminho.

Justamente pela escassez de títulos,  a repetição é uma prática frequente na Record. A situação se agrava com o retorno do Cine Maior, depois que a extinção do novo Domingo Show foi anunciada. Adivinhem qual o filme escolhido? Meu Malvado Favorito 2, cuja exibição mais recente foi em 26 de janeiro, na mesma sessão.

De toda forma, os filmes devem render melhores índices à Record. Basta observar o desempenho de Titanic e Velozes 7, que não apenas incomodaram Celso Portiolli, mas chegaram a ficar a poucos pontos da Globo. Já que os blockbusters se saem melhor do que os programas próprios, a cúpula da emissora deveria, ao menos, investir na aquisição de mais títulos, para dar um novo fôlego às suas sessões de filmes. Afinal, tudo o que é demais pode cansar.

Band faz sucesso com filmes

Quem tem conquistado bons índices com os filmes é a Band. Além da trilogia 50 Tons de Cinza – rejeitada pela Globo – a emissora detém os direitos sobre outros clássicos. São os casos, por exemplo, das franquias De Volta Para o Futuro e Babe: O Porquinho Atrapalhado. Ainda nessa lista, podemos incluir ET – O Extraterrestre, de Steven Spielberg, e a comédia Uma Babá Quase Perfeita.

A volta do Cine Privé também tem feito a alegria dos telespectadores, alavancando a audiência da emissora no Painel Nacional de Televisão (PNT). Em tempos de internet, o chamado cinema soft porn ainda faz a alegria de muito marmanjo.

via rd1