Giovanna Antonelli defende ingenuidade de Luzia em novela: ‘Tem personalidade’

Em conversa com o Purepeople, a atriz comentou as críticas que a Luzia, sua personagem na novela ‘Segundo Sol’, recebeu por sua ingenuidade. ‘Eu a acho o máximo, que gosta de fazer tudo sozinha, que tem personalidade, não ouve os outros. Acho tudo ótimo’, defendeu. A artista, aliás, disse que não tem detalhes da vingança da DJ: ‘Eu só represento. Topo qualquer coisa’

As ingenuidades de Luzia (Giovanna Antonelli) na novela “Segundo Sol” viraram assunto nas redes sociais. Os internautas chegam a chamá-la de “burra” por cair constantemente em armações de Laureta (Adriana Esteves) e Karola (Deborah Secco). Na semana em que a ex-marisqueira foi acusada pela morte de Remy (Vladimir Brichta) e fugiu da cena do crime, aumentando a ideia de culpa, a atriz defendeu a personagem em conversa com o Purepeople: “Eu a acho o máximo, que gosta de fazer tudo sozinha, que tem personalidade, não ouve os outros. Acho tudo ótimo”.

ATRIZ COMENTA VINGANÇA DE LUZIA: ‘ADORO FAZER PERSONAGENS JUSTICEIRAS’

Nos próximos capítulos da trama, Luzia vai se aliar a Roberval (Fabrício Boliveira) e Galdino (Narcival Rubens) para iniciar sua vingança. Porém, a atriz não possui detalhes sobre os planos da DJ: “Adoro fazer personagens justiceiras. Isso é com o João Emanuel. Ele que escreve, que manda, que ganha pra isso. Eu só represento. Topo qualquer coisa. Se mandar botar um abacaxi na cabeça e entrar no túmulo, eu vou feliz”.

ARTISTA REFLETE SOBRE MUDANÇA DE PERSONAGEM: ‘SER HUMANO É ELÁSTICO’

Questionada sobre a mudança de personalidade de Luzia por causa das injustiças sofridas, Antonelli fez uma reflexão: “Não penso nada, eu só interpreto. Todo mundo tem vários lados. O ser humano e elástico. Se não for, não sobrevive. A gente está sempre em movimento, mudando”.

FAMOSA ADERE A MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL: ‘QUERO DESACELERAR’

Em entrevista recente à revista “Joyce Pascowitch”, Giovanna contou que iniciou um curso de meditação transcendental para diminuir o ritmo: “No último ano coloquei uma meta: não quero mais perder tempo, sabe? Quero desacelerar. Pode ser um processo que leve dez anos, mas vou tentar. Comecei a meditação transcendental há um ano e foi evolutivo para mim. Sou muito controladora, tenho a personalidade forte, e estou aprendendo a dizer não. Para a gente ser essa mulher do século 21, essa pessoa múltipla hoje, tem de estar muito sã, né? Se me ajudou, imagina uma pessoa normal!”.

*via purepeople

Related posts

Leave a Comment