Ex-funcionários de Joelma cobram direitos trabalhistas da Justiça

Ex-funcionários de Joelma cobram direitos trabalhistas da Justiça

14 de abril de 2020 0 Por Diego C. Melo

Joelma está sendo processada por pelo menos dez ex-funcionários que a acionaram na Justiça do Trabalho. Músicos, técnicos, roads (que carregam material e auxiliam na montagem da estrutura do show), seguranças, além de alguns profissionais que trabalhavam no escritório da cantora, entraram com a ação contra Joelma, após terem sido demitidos sem justa causa em 2017. Eles cobram verbas rescisórias da cantora, que na época das demissões chegou a pagar as rescisões. No entanto, após os profissionais terem realizado a contabilidade dos ganhos, perceberam que receberam menos do que deveriam.

Alguns destes funcionários optaram por não levar os processo adiante, e fizeram acordo com Joelma. Mas a cantora já descumpriu alguns desses acordos, ao pagar com atrasos algumas das parcelas, e não ter quitado multas pelos atrasos. Os valores das causas variam entre R$ 25 mil e R$ 233 mil.

Segundo a coluna apurou, as demissões teriam acontecido depois que Joelma contratou um novo produtor. A partir desta nova contratação é que a cantora teria iniciado toda a alteração na equipe, demitindo vários funcionários para que outros novos fossem contratados.

Esta colunista procurou alguns dos profissionais que estão processando Joelma para comentarem o assunto. Mas nenhum deles quis dar entrevista, sob a alegação de terem sido ameaçados de processo caso falassem com a imprensa.

Joelma procurou a coluna e emitiu a seguinte nota: “A cantora Joelma vem a público repudiar as informações dadas pela colunista Fabia Oliveira no jornal O Dia na data de hoje, dia 14, no qual teria pago valores rescisórios a menor para seus ex-funcionários.

Informa ainda que, apesar de ter havido discussão processual com alguns dos funcionários que pertenceram a sua banda e que buscaram verbas de natureza extraordinária, em momento nenhum houve questionamento dos valores pagos pela artista. Ressalta ainda que, a maioria dos processos acordados, foram encerrados em 2019″.

Apesar do posicionamento da cantora, esta colunista ressalta que teve acesso aos processos. 

via fábia oliveira