CONFIRMADO: Em abril, Criolo traz novo show para o Recife

CONFIRMADO: Em abril, Criolo traz novo show para o Recife

7 de março de 2017 0 Por Diego C. Melo

Rapper apresenta pela primeira vez, no dia 7 de abril, no Clube Português,  espetáculo que resgata o primeiro disco lançado por ele, em apresentação única no Recife 

 

O ano era 2006 e Criolo lançava o “Ainda há tempo”, um disco que marcou a história do rap nacional. Mais de uma década depois, o paulista resgata este clássico e leva aos palcos. A série de shows baseada no primeiro disco lançado pelo rapper vem no formato clássico do hip hop, com DJ e MC no palco e esmerado projeto cênico. Criolo apresenta o espetáculo no dia 07 de abril, no Clube Português, a partir das 22h. 

 

Na cenografia da turnê “Ainda há tempo” uma paisagem móvel de tela de LED, foi imaginada pelo artista plástico Alexandre Órion. Ele fez as engenhosas e lisérgicas animações que acompanham o fluxo contínuo de canções e moldam a experiência ao vivo. O show traz uma miríade de novas interpretações pros raps de dez anos atrás e não apenas um retorno saudosista ao artista quando ele ainda atendia por Criolo Doido. É uma releitura audiovisual do que aconteceu em sua vida até chegar ali e ele espera que isto signifique mais uma contribuição  para cultura Hip Hop e para música brasileira. 

 

A direção artística e musical do espetáculo é assinada por Daniel Ganjaman que também assina os beats do disco em parceria com Marcelo Cabral. Para o show foi reunido um time de novos e talentosos produtores do rap brasileiro para recriar as batidas do disco. Algumas músicas fazem parte do repertório dos shows do Criolo desde o lançamento de “Nó na Orelha” e prosseguiram na turnê de “Convoque Seu Buda”. Criolo é acompanhado pelos DJs DanDan e Marco; Orion adequa as animações à dinâmica do espetáculo e Ganja pilota a mesa de som, mixando ao vivo com técnicas dos soundsystems de reggae e dos live P.A.s de música eletrônica. 

 

O mundo mudou – tem letra escrita dez anos atrás, tem música com 20 anos – mas há uma mesma essência. Era um meio hostil, e quando cada um tá tentando sobreviver no seu microcosmo, não percebe muitas possibilidades. Só que quando alguém te dá uma oportunidade, ninguém sabe o que vai acontecer, e outras portas na sua mente se abrem. Pensei que seria bom confraternizar com as pessoas. Ativar sensores”, finaliza Criolo.

*via assessoria