Cleonice Berardinelli é homenageada em documentário inédito

Cleonice Berardinelli é homenageada em documentário inédito

24 de março de 2020 0 Por Diego C. Melo

Cleonice Berardinelli faz parte do seleto grupo de imortais da Academia Brasileira de Letras. Aos 103 anos, ela é considerada uma referência em estudos em literatura portuguesa, tendo sido a primeira brasileira a escrever uma tese sobre Fernando Pessoa. Sua vida e sua carreira são retratadas no documentário “Cleo”, de Guilherme Begué, que estreia no canal Curta!.

Dona Cleo, como gosta de ser chamada, exerceu o magistério por mais de meio século em locais de prestígio, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro, e coleciona ex-alunos ilustres, como Zuenir Ventura e Ana Maria Machado, hoje seus colegas na ABL. Em “Cleo”, ela apresenta poemas recitados de cor, em uma interpretação tocante. A produção é da Boulevard Filmes. A estreia é na Quinta do Pensamento, 26 de março, às 22h50.

Série de Nelson Motta exibe episódio sobre panorama musical em 1964

A série “101 Canções que Tocaram o Brasil”, apresentada por Nelson Motta, conta a história da música popular brasileira, enquanto também reconta a própria trajetória do país. O episódio inédito “Cantando a Esperança”, que vai ao no Curta!, rememora a trilha sonora de 1964, ano do golpe militar que instaurou uma ditadura de mais de duas décadas. Nesse mesmo contexto de repressão, a música florescia de forma festiva nas vozes de artistas como Jorge Ben Jor — que, na época, se apresentava como Jorge Ben — e João Rubinato, mais conhecido pelo pseudônimo Adoniran Barbosa. A estreia do episódio é na Segunda da Música, 23 de março, às 23h30.

Segunda da Música – 23/03

23h30 – “101 Canções Que Tocaram o Brasil” — Episódio “Cantando a Esperança” 
Com o golpe militar de 1964, apesar da progressiva repressão das liberdades, a vida seguia no ritmo festivo de Jorge Ben e de Adoniran Barbosa. 
Diretor: Roberto de Oliveira. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 24 de março, terça, às 03h30 e às 17h30; 25 de março, quarta, às 11h30; 28 de março, sábado, às 09h35; 29 de março, domingo, às 18h.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=ekLJQp3oXgg[/embedyt]

Terça das Artes – 24/03

21h – “Francisco Brennand”
Morto em dezembro do ano passado, Francisco Brennand foi pintor, desenhista, escultor e ceramista. Desde 1971, vivia isolado em seu ateliê-oficina num bairro distante do centro de Recife. O filme narra sua trajetória a partir de um diário escrito pelo artista.  
Diretora: Mariana Brennand Fortes. Duração: 75 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 25 de março, quarta-feira, às 1h e 15h; 26 de março, quinta-feira, às 09h; 28 de março, sábado, às 10h20; 29 de março, domingo, às 20h

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=fYCDpQcwHUc[/embedyt]

Quarta de Cinema – 25/03

20h – “Cineastas” (Série) — Episódio: “Tata Amaral”
Diretora paulistana, Tata Amaral enfoca, em seus filmes, a figura da mulher em diferentes fases de vida e em épocas marcantes de nossa história, como a ditadura. O roteirista Jean-Claude Bernardet e o escritor Fernando Bonassi contam como é o processo de criação dos roteiros junto com a diretora. O episódio traz, ainda, relatos do cineasta Francisco César Filho, da roteirista Caru Alves de Souza e das atrizes Leona Cavalli, Denise Fraga e Negra Li. 
Diretor: Hermes Leal. Duração: 45min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 26 de março, quinta-feira, às 0h e 14h; 27 de março, sexta-feira, às 08h; 29 de março, domingo, às 16h50.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=ijzfULt41FM[/embedyt]

Quinta do Pensamento – 26/03

22h50 – “Cleo” (Documentário)
Cleonice Berardinelli é uma das maiores intelectuais brasileiras. Imortal da Academia Brasileira de Letras, ela foi a primeira brasileira a escrever uma tese sobre Fernando Pessoa e é uma das principais referências no estudo das obras desse autor, de Luís de Camões e de Gil Vicente. Dona Cleo, como gosta de ser chamada, deu aula de Literatura Portuguesa por mais de meio século, inclusive a alunos ilustres como Zuenir Ventura e Ana Maria Machado, hoje também imortais da ABL. A sua energia vital parece inesgotável, e, aos 103 anos, Dona Cleo ainda nos presenteia com poemas recitados de cor.  
Diretor: Guilherme Bengué Duração: 57 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 27 de março, sexta-feira, às 02h50 e às 16h50; 28 de março, sábado, às 21h35; 29 de março, domingo, às 12h35; 30 de março, segunda-feira, às 10h50.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=6l_Ta0w5twI[/embedyt]

Sexta da Sociedade – 27/03

23h – “Decolonizações” — Episódio: “A Libertação” (Documentário)
A série inédita no Brasil conta a história de como a queda dos impérios europeus após a Conferência de Berlim, em 1885, deu origem a um novo mundo, com a independência de suas colônias. O segundo episódio é sobre confronto: seja através do algeriano Kateb Yancine ou do sangue e suor de Dien Bien Phu, ele resulta na independência de quase todas as colônias nos anos 60. Mas a que preço? 
Diretor: Karim Miské, Marc Ball, Pierre Singaravélou. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 28 de março, sábado, às 3h10 e às 08h35; 29 de março, domingo, às 23h; 30 de março, segunda-feira, às 17h; 31 de março, terça-feira, às 11h.

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=THe72gntLNA[/embedyt]

via assessoria